Diocese de Campos promove campanha para reforma da Catedral

A imagem pode conter: céu, árvore e atividades ao ar livre

Campanha para a reforma da pintura da Catedral de Campos.

Cuidar e preservar o legado da igreja católica em Campos é um dever da sociedade. A Catedral Basílica Menor do Santíssimo Salvador é uma das principais igrejas, patrimônio arquitetônico e legado da presença da igreja católica. O Bispo de Campos Dom Roberto Francisco destaca que a Catedral Basílica Menor Santíssimo Salvador, a tempos está requisitando uma pintura externa que possa mostrar sempre seu esplendor e beleza como principal templo católico da Diocese.

– A conservação das Igrejas, especialmente aquelas que tem uma significação   mais destacada pela sua localização e histórico, é sem dúvida um empreendimento necessário  e às vezes urgente, que demanda  o envolvimento de todos os fiéis na sua ação e participação.  Ajudar e apoiar já seja com fornecimento de material ou com uma contribuição financeira é um gesto comunitário e generoso e de autêntica corresponsabilidade eclesial. – disse o bispo.

Uma campanha esta sendo realizada com o objetivo de arrecadar recursos para a realização da pintura e as pessoas podem procurar a secretaria que funciona de segunda a sábado no horário de  segunda a sexta das 10h às 12h e das 14h às 17h e aos sábados das 8h às 12h. A obra esta orçada em 180 mil reais e as doações podem ser feitas através de carnê ou depósitos na Conta Poupança CEF – Agencia 0180 Operação 013 CP 9552-6 em nome da Mitra Diocesana de Campos.

Uma igreja e as tradições religiosas católicas na cidade desde o inicio da colonização. A catedral tem a sua história registrada desde a igreja matriz que foi substituída pela atual igreja com o conjunto de imagens sacras. E ao longo dos tempos foi possível acompanhar as transformações de espaço urbano, mas sempre preservada a sua edificação, obra do Monsenhor João de Barros Uchoa.

A imagem pode conter: céu, árvore e atividades ao ar livre

Segundo informações do Jornalista e Professor Oravio de Campos Soares a história da Catedral se confunde com a própria história do nascimento da Igreja em Campos. A primeira igrejinha matriz foi construída onde é hoje de S. Francisco, em 1649 e seu primeiro Vigário foi o Frei Fernando de S. Bento.monge beneditino que chegou a Campos em 1648.

A segunda matriz (por estar em ruínas a primeira) foi construída em 1745, junto à Capela dos Passos, que já havia na Praça do S. Salvador. Em 4 de dezembro de 1922, é criada a Diocese de Campos e a velha matriz passa à condição de Catedral, foi demolida e, no seu lugar, graças ao trabalho do Mons. João de Barros Uchoa, surgiu o atual igreja projetada por D. Henrique Mourão e empreendido pelo Monsenhor João de Barros Uchoa, em estilo neo-clássico. O Papa Paulo VI, em 11 de dezembro de 1965 conferiu o título de Catedral Basílica Menor do Santíssimo Salvador.

Um patrimônio da arquitetura sacra e uma igreja de referencia para a Diocese de Campos. E a urgência da reforma da pintura une jornalistas e intelectuais que falam da importância da preservação desse importante legado da religião católica na cidade.

– É a referência máxima da igreja Católica, em Campos e região. Além disso, é o grande cartão postal da cidade, sendo o grande destaque quando se fala em nosso município. Todo campista que puder ajudar no processo de captação de recursos para que o trabalho de pintura seja executado, não deve pensar duas vezes antes de dizer sim ao importante chamamento feito pela nossa Catedral. – Jornalista e Assessor da Diocese, Antônio Filho.