Acolher, proteger, promover e integrar os migrantes e os refugiados

Dom Roberto Francisco Ferreria Paz

Bispo  de Campos (RJ)

O Papa Francisco, na sua mensagem para o Dia Mundial do Migrante e do Refugiado, conjuga quatro verbos para dar uma resposta comum e articulada para o desafio dos migrantes e refugiados. São pessoas atribuladas por perseguições, catástrofes naturais, pobreza e miséria que os expulsam de suas terras, culturas e famílias.

Esta situação angustiante, que bate às nossas portas e corações, é uma ocasião de encontrar-se com Jesus Cristo que, pela sua encarnação, passou por esta condição. A primeira atitude humana e pastoral é acolher, ampliar as possibilidades de entrada e residência segura oferecendo hospitalidade e refúgio aos irmãos migrantes e refugiados. A ação que segue será proteger, salvaguardar a dignidade e integridade das pessoas e grupos familiares, reconhecendo e respeitando seus direitos. Dar informação verdadeira e adequada no país de origem, acesso a serviços de documentação, aproveitamento de suas capacidades e habilidades, e preocupação com seu sustento e manutenção. Evitar o aliciamento, exploração laboral, e sua cooptação pelo crime em suas várias degradações. A terceira proposta e empenho será promover estas pessoas de uma forma integral, visando a seu crescimento em todas as dimensões: religiosa, social, cultural, ambiental e física. Sua inserção num trabalho digno e decente, o atendimento às necessidades sanitárias e educativas, sem perder de vista o contributo civilizatório que poderão compartilhar no diálogo e na tolerância.

Finalmente, sua integração, o que supõe criar, ser incluído plenamente numa nova identidade e cidadania, sem perder seus valores, mas acrescentando outros que enriquecem, adaptam e assimilam de uma maneira generosa e criativa o migrante e refugiado, na sua nova Pátria. Com boas práticas de integração iremos construindo um mundo mais fraterno e solidário, uma cidadania universal, que respeitando as identidades culturais e nacionais forjará uma família humana mais unida, pacífica, e acolhedora. Que Jesus, o migrante do céu e o peregrino de todas as estradas, abençoe e proteja nossos irmãos (ãs) migrantes e refugiados. Deus seja louvado!