São Martinho é eleita para o Conselho Municipal da Criança e do Adolescente

so_martinho_1_07112014090711

“A superação da violência pede comprometimento e ações que envolvam a sociedade civil, a Igreja e os poderes constituídos, a fim de que os direitos humanos e a promoção da cultura da paz sejam assegurados por políticas públicas emancipatórias.”  (Texto Base CF 2018, nº 206)

 

No ano em que no Brasil se realiza uma Campanha da Fraternidade com o tema da superação da violência, na Cidade do Rio de Janeiro uma importante vitória foi alcançada pela Igreja: a Associação Beneficente São Martinho, da Província Carmelitana de Santo Elias, foi eleita para presidir o Conselho Municipal da Criança e do Adolescente do Rio de Janeiro (CMDCA-Rio), por um período de 2 anos. A eleição aconteceu dia 26 de fevereiro, no Centro de Pós-graduação da Faculdade Mackenzie, no Centro (RJ). A instituição será representada pela assistente social e coordenadora do Núcleo de Acompanhamento Institucional da São Martinho, Lucimar Corrêa, e pelo psicólogo Faustino Costa. A posse dos eleitos será no dia 12 de março.

Recebendo o maior número de votos (68), a São Martinho presidirá um conselho formado por mais nove instituições civis: CEDECA RJ, Cruzada do Menor, Lar Fabiano Cristo, Mudes, Rede da MARÉ, Educar para o Amanhã, Contato, FIB, Maria Imaculada.

Equipe da São Martinho. Da esquerda pra direita: Lucimar Correa, Erika Oliveira, Diácono Valdinei Martins, Regina Moreira e Faustino Costa

Equipe da São Martinho. Da esquerda pra direita: Lucimar Correa, Erika Oliveira, Diácono Valdinei Martins, Regina Moreira e Faustino Costa

Para Lucimar a vitória da São Martinho é um claro sinal de que há uma necessidade de uma nova forma de gestão no Conselho. “O resultado foi uma lavagem de alma para toda instituição que luta pelos direitos das crianças e adolescentes no Rio de Janeiro. Recebemos muitas mensagens de felicitações. O primeiro e o último voto na apuração foram para a São Martinho, teve até salva de palmas ao término da apuração”.

Em entrevista à Rádio Catedral, a assistente social explicou o que significa essa nova gestão: “Ver as crianças, adolescentes e jovens como irmãos, priorizando o desenvolvimento integral dos beneficiários, levando em consideração que existem necessidades e particularidades diferentes em cada região da Cidade. Também um olhar especial para as crianças em situação de rua, que muitas vezes acabam esquecidos porque outras questões entram na prioridade das políticas públicas”. Ela explicou ainda que a Província Carmelita de Santo Elias tem buscado ao longo dos 33 anos da instituição, acolher e trabalhar na perspectiva de denunciar as diferentes formas de violência que são submetidos aqueles que estão a margem da sociedade. “Este grupo tem cor, tem idade, tem sexo, tem endereço. Falta sonhos, escola, trabalho, lazer, saúde, assistência social, enfim políticas públicas e não somente polícia. Toda a sociedade sofre com a violência, mas existem níveis diferentes de sofrimento. Com certeza a população em situação de rua, das periferias, das ocupações, sendo jovens e negros vivem cotidianamente todos os tipos de violência. Entretanto, há sinais de esperança com este mesmo grupo que busca formas de se apresentar e resistir”, pontuou.

Frei Adailson dos Santos, O.Carm., presidente da Associação, agradeceu a todos pela confiança depositada na São Martinho. Para o religioso a vitória da São Martinho no CMDC é uma vitória da Igreja e, especialmente, das crianças. “Somos muito gratos à toda a equipe e às instituições que depositaram sua confiança na São Martinho. Com certeza as grandes vencedoras foram as crianças.”

A participação da Associação Beneficente São Martinho na defesa dos direitos das crianças e adolescentes é conhecida em todo o estado do Rio de Janeiro. Em julho de 2017 a instituição foi reeleita para o Conselho Estadual de Defesa da Criança e do Adolescente (CDCA/RJ), que é um órgão composto por 10 membros da sociedade civil e 10 membros do governo. Também nesse processo eletivo a Associação Beneficente São Martinho foi a mais votada, o que demonstra a liderança e o protagonismo desta instituição da Província Carmelitana de Santo Elias na defesa e na promoção dos direitos das Crianças, adolescentes e jovens na cidade do Rio de Janeiro.

A São Martinho e a Campanha da Fraternidade

A Associação Beneficente São Martinho é uma organização sem fins lucrativos criada em 1984 pela Província Carmelitana de Santo Elias para promover e defender os direitos das crianças, adolescentes e jovens em situação de vulnerabilidade social na cidade do Rio de Janeiro. A instituição atinge diretamente por ano cerca de 1.900 pessoas entre 6 e 24 anos de idade, muitas delas em situação de rua.

Tendo o beneficiário como ponto central de suas atividades, a São Martinho realiza uma abordagem interdisciplinar por meio de uma equipe profissional: assistentes sociais, pedagogos, psicólogos e advogados. Realiza inclusão profissional, cultural, esportiva, e promove o fortalecimento dos vínculos familiares e comunitários, bem como a vivência da espiritualidade.

“Os fundadores da Associação Beneficente São Martinho se inspiraram em uma Campanha da Fraternidade dar um impulso à atuação da instituição junto à sociedade civil:”Quem acolhe um menor a mim acolhe”, em 1987 . Portanto, as campanhas da fraternidade são sempre momentos importantes de nos fazer refletir sobre tema contemporâneos e fundamentais para nos revermos como cristãos, irmãos e iguais perante Deus. O tema de 2018 não poderia ser mais apropriado, principalmente para quem vive ou tem alguém que vive, na cidade do Rio de Janeiro”, contou Lucimar.

Pela garantia dos direitos

O CMDCA-Rio é um órgão criado por lei para formular e deliberar políticas públicas relativas às crianças e aos adolescentes, em conjunto com as áreas de saúde, meio ambiente, assistência social, educação, entre outras. Controla as ações em todos os níveis e organiza as redes de atenção à população infanto-juvenil, promovendo a articulação das ações, das entidades e dos programas da sociedade civil e dos governos.

O Conselho é formado, paritariamente, por integrantes do poder público e da sociedade civil, escolhidos em fórum próprio. O CMDCA-Rio é constituído por 40 conselheiros, divididos entre 10 representantes da sociedade civil titulares e 10 suplentes e outros 10 representantes do poder público titulares e 10 suplentes. Os candidatos são indicados por movimentos sociais de defesa e promoção da criança e do adolescente e por entidades não governamentais que prestam serviço de atendimento e defesa da criança e do adolescente. O processo eleitoral dos conselheiros representantes da sociedade civil ocorre a cada dois anos. Os conselheiros governamentais são indicados pela Prefeitura Municipal da Cidade.

O CMDCA-Rio já deliberou a política de atendimento às crianças e aos adolescentes vítimas de violência doméstica e, recentemente, a política de reordenação dos abrigos no município do Rio de Janeiro. O compromisso do CMDCA-Rio se firma em aproximar as políticas públicas da população em vulnerabilidade, criando uma ligação com a sociedade civil, convidando a conhecer e participar dessas necessidades.

Fonte: São Martinho e CMDCA-Rio