Diocese de Campos preparando bases para projetos de Turismo Religioso

A imagem pode conter: 2 pessoas, atividades ao ar livre

Festa tradicional com quase quatro séculos já preparando para implantação do Roteiro de Turismo Religioso no Caminho de Santo Amaro

A Festa de Santo Amaro que acontece na cidade de Campos dos Goytacazes é uma das mais tradicionais no Norte do Estado do Rio de Janeiro. Realizada desde 1733 com a construção da igreja na região da Baixada Campista, é um dos legados dos monges beneditinos que chegaram a região em 1648, com a chegada do Frei Fernando de São Bento, que inicia a devoção ao santo um dos primeiros discípulos de São Bento.

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e atividades ao ar livre

A imagem pode conter: 13 pessoas, casamento e área interna

O Projeto visa o incentivo as visitas a Igreja de Santo Amaro, que está sendo preparada para ser elevada a Santuário e com a realização de atividades durante todo o ano. No trajeto percorrido por devotos na madrugada do dia 15 as visitas acontecerão em igrejas históricas. No plano que está sendo organizado pela Diocese de Campos em parceria com a Prefeitura Municipal de Campos prevê a formação de guias de turismo para receber os visitantes e a preparação de uma infra estrutura para que os turistas possam ter além da participação em atividades religiosas e culturais possam conhecer um pouco da história da cidade a partir da preservação de todo legado histórico, social e religioso.

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e atividades ao ar livre

A imagem pode conter: 1 pessoa, andando a cavalo, céu e atividades ao ar livre

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas andando a cavalo e atividades ao ar livre

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas andando a cavalo e atividades ao ar livre

 

Historias de fé marcam a festa e a devoção a Santo Amaro. Séculos de preservação religiosa e cultural marcam a tradicional festa que recebe mais de 100 mil pessoas desde os primeiros dias de janeiro. Para receber os devotos a igreja prepara uma programação religiosa com missas e com as tradições populares. A ladainha é rezada todos os dias. Na programação cultural a cavalhada que acontece no dia 15 de janeiro, uma herança da colonização lusitana e mantida pelos moradores.