Santíssimo Salvador, memória, mística e vocação da nossa cidade

A imagem pode conter: 1 pessoa

Dom Roberto Francisco Ferreria Paz

Bispo  de Campos (RJ)

O padroeiro de uma cidade faz parte do patrimônio cultural e espiritual que, como alma

fundacional, ilumina os passos, inspira as ações e carateriza o agregado urbano. Podemos dizer que constitui um legado dos primeiros moradores que se torna uma tradição e uma memória viva. Esta vibração e mística religiosa não só dá sentido a convivência social mas, como se verifica nas festas do Santíssimo Salvador, oportuniza uma reconstrução permanente dos vínculos de fé e cidadania que nos ligam como residentes desta querida cidade.

Afirmar que esta cidade tem o Salvador da humanidade como referência e patrono protetor, suscita no povo que a constitui um ambiente de confiança e renovada abertura para o futuro. A benção do Salvador impulsiona e gera uma atitude vocacional de empreendedorismo social e cívico, de amor comunitário e altruísmo que trata de incluir e acolher a todos/as.

Na luz e graça do Salvador vemos a cidade com outros olhos, pois a generosidade com que o Senhor embelezou esta maravilhosa planície campista, desperta nesta família um coração grato e reconhecido, que exulta e festeja a bondade e misericórdia divinas. Festa que nos reúne e nos impele sempre a pensar nos pobres e necessitados da nossa cidade; os cada vez mais numerosos moradores de rua, ou melhor, pessoas em situação de rua; idosos sem poderem comprar remédios; crianças e menores vulneráveis; desempregados, dependentes químicos e enfermos sem atendimento.

Finalmente, neste Ano Mariano Nacional não queremos esquecer e deixar de homenagear a Mãe do Santíssimo Salvador no Tricentenário do achado da sua Imagem, matriz cultural e religiosa do povo brasileiro, nas águas do rio Paraíba que tem sua desembocadura e foz no mar passando pela nossa cidade, rio que dá vida, colorido e encanto a formosa Campos dos Goytacases. Que o Santíssimo Salvador continue derramando copiosas bênçãos e graças sobre toda a família campista. Deus seja louvado!