Por um trânsito mais seguro e cidadão

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas em pé e área interna

Dom Roberto Francisco Ferreria Paz

Bispo de Campos (RJ)

No dia 02 de julho de 1993, por meio da Portaria Ministerial nº 621, nasceu o PARE, Programa de Redução de Acidentes no Trânsito, instituindo o Dia Nacional de Paz no Trânsito. Trata-se de resgatar uma postura de cidadão responsável e vigilante, que não só contenha o alto índice de acidentes nas estradas e ruas urbanas, mas ajude a educar as pessoas no sentido de comportamentos de convivência harmoniosa e de tolerância tanto nos motoristas como nos pedestres.

O Novo Código de Trânsito Brasileiro, a Lei n º 9503, de 23/09/1997, ajudou a promover novos padrões de conduta, visando a segurança, fluidez e eficiência no processo de circulação e transporte de bens e pessoas, desenvolvendo uma verdadeira cultura de paz e cuidado pela vida. Ainda, a chamada popularmente de lei seca, veio a tratar de banir a causa da embriaguez penalizando severamente o motorista faltoso e irresponsável, e criando mecanismos de controle eficazes que reduziram a taxa de mortalidade nas estradas.

As Igrejas, que se unem a este mutirão de resguardo e preservação da vida no trânsito, acrescentam a educação espiritual e a formação ética, centrada no cuidado e na proteção das pessoas e demais seres, que são preciosas aos olhos de Deus, o Senhor da Vida. Os católicos vêem, no modelo de São Cristóvão (portador de Cristo), um exemplo a ser seguido, porque sempre estamos carregando a Cristo na pessoa dos irmãos, e os outros motoristas e pedestres são também outros Cristos que solicitam nossa compaixão e cuidado amoroso. Sempre que vejo cruzes na estrada, rezo por essas pessoas que, talvez por desatenção ou uma pressa desmedida, ceifaram a própria vida e a de outras pessoas. É muito mais confortante e santificador chegar são e salvo ao lugar do logradouro com a consciência tranquila de que fomos fiéis a Cristo na missão de tornar a estrada um lugar de paz e de comunicação entre as pessoas, permitindo sua circulação aprazível e segura, afastando, como os anjos bons, as tentações de vaidade, soberba e prepotência, que geram a violência e a cultura de morte. Nossa Senhora da Boa Viagem e São Cristóvão, Rogai por nós!