Dom Francisco Biasin se encontra com Papa Francisco

Audiência acontece durante assembleia plenária do Pontifício Conselho para o Diálogo Inter-religioso

Nesta sexta-feira, dia 9, o bispo da diocese de Barra do Piraí – Volta Redonda, dom Francisco Biasin, se encontrará com o papa Francisco durante uma audiência de encerramento da assembleia plenária do Pontifício Conselho para o Diálogo Inter-religioso. A assembleia teve início nesta quarta-feira, dia 07, no Vaticano. Dom Francisco Biasin participa como membro do Pontifício Conselho e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para o Ecumenismo e o Diálogo Inter-religioso da CNBB, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil. Este ano o tema do encontro é “O papel da mulher na educação à fraternidade universal”.

De acordo com ele, estar em Roma para esse evento une os anseios do mundo inteiro e ao mesmo tempo o compromisso de muitas pessoas, entre elas muitas mulheres, que a partir da fé em Jesus Cristo trabalham na construção de um mundo melhor.

“Nós ficamos muito contentes porque as reflexões sobre o papel da mulher são apresentadas por mulheres. Portanto nós homens, padres, bispos e cardeais nos colocamos como discípulos de mestras, pessoas que têm um grande compromisso, uma grande sabedoria e preparação, do ponto de vista acadêmico e de testemunho de vida”, destacou dom Francisco Biasin.

Durante o encontro estão sendo apresentados os resultados de ações que vêm sendo realizadas pelo Pontifício Conselho em todo o mundo e as reflexões sobre o papel da mulher na educação para a fraternidade, baseando-se sobretudo na bíblia e na perspectiva católica, como por exemplo a contribuição que as mulheres podem dar à fraternidade, vencendo o modelo tecnocrático, ou seja, que submete tudo apenas à eficiência. Outros temas e experiências sobre a construção desta fraternidade e da paz, a partir do olhar das mulheres, ainda serão abordados por diferentes conferencistas. “Esperamos no fim desta assembleia plenária poder dar mais um passo para que haja em todas as religiões um espírito de compreensão, colaboração e valorização do positivo que tem em cada uma para a construção da paz”, finalizou o bispo diocesano.