Espiritualidade para ressuscitados

Dom Roberto Francisco Ferreria Paz

Bispo  de Campos (RJ)

O tempo Pascal desenvolve em nós um novo olhar, uma experiência de plenitude e a mística do encantamento com as pessoas, a criação e todos os seres. Viver como ressuscitados se expressa numa espiritualidade transbordante que em tudo respira a experiência do Cristo vivo e testemunha a sua presença.

Espiritualidade dinâmica e decidida que gera ações, gestos e atitudes que promovem a vida e o amor. Entusiasmo e alegria do encontro que nos torna servidores e pastores compassivos, jardineiros da terra.

Anúncio Pascal que nos impulsiona a comunicar e traduzir em novos relacionamentos  e estruturas a vitória do Ressuscitado, comunidade missionária e apostólica que sai a partilhar a feliz notícia com propósito e ardor contagiante. O Aleluia vibrante que, como hino dos renascidos, anima o louvor e o exultante cântico de pessoas libertas e redimidas. O medo e o desânimo ficaram para trás, o velho fermento da corrupção e do triste egoísmo sucumbiram diante da beleza e do fulgor da vida nova de consangüíneos e conressuscitados em Cristo.

Como Pedro e João, na Porta Formosa, constatamos o poder que a Páscoa de Jesus opera através de nossas humildes e pequenas pessoas no soerguimento daqueles que estão à margem da vida, doentes e oprimidos. Espiritualidade do cuidado delicado e terno para com a Criação e os biomas, da defesa da integridade do planeta e da comunhão com todos os seres.  Força inspiradora que torna novas todas as coisas, devolvendo a cor, a consistência e robustez aos mais diversos setores da atividade humana que foram reduzidos à lama ou a escárnio como a política, a economia e a administração, junto a outras dimensões da vida pública.

Paz que ressurge como dom e presente do Redentor e que consegue revigorar e despertar o sonho da conversão das espadas em instrumentos de trabalho, das prisões em escolas, da doença e da fome, no banquete da vida, da mesa fraterna e da convivência cordial de todas as Nações, povos e raças. Que Maria Santíssima, a Mãe da vida e da esperança, nos conceda ser como ela, irradiadores e acendedores da alegria Pascal em todos os ambientes e situações. Deus seja louvado!