Cristo e a Paixão que Campos aprendeu a encenar

Antônio Filho

Jornalista

É chegado o momento da encenação da Via Sacra. Nos dias 13 e 14 de abril, pela 36ª vez, Campos dos Goytacazes realizará a representação do Auto da Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus Cristo. Pela primeira vez, o Teatro Municipal Trianon será o palco das apresentações. Seguindo a máxima deixada por seu idealizador, Dom Carlos Alberto Navarro, o grupo de teatro sacro da cidade irá Evangelizar através da Arte. Pela sagrada missão, mais de 7 mil pessoas já passaram, doando talento e fé.

O início de tudo se deu pelas mãos de um gigante do teatro campista. O ator, diretor e teatrólogo Orávio de Campos Soares, junto de seu grupo de atores, deu forma ao espetáculo, a pedido de Dom Carlos. Orávio, após criar o alicerce de um trabalho catequético e inovador, transferiu a missão de dirigir a montagem a um de seus estimados e talentosos alunos: Felix Carneiro.

Na era de Felinho – inesquecível para os mais antigos membros do grupo –, o espetáculo ganhou bases até hoje utilizadas. Junto dele, Dorinha Martins e tantos outros jovens, misturavam-se entre atores profissionais e evangelizadores. Atravessando as barreiras do tempo, a montagem sempre abriu espaço para quem se dispôs a ajudar na transmissão da mensagem do evangelho. Naquele palco, grandes talentos se revelaram.

Na primeira encenação, aos 14 anos, atuando como anjo, Pedro Carneiro fez sua estreia. Quis o destino que ele, mais tarde, desse vida a Jesus. Mas, sua missão não se findaria, ali. Depois da saída de seu irmão, Pedro foi convidado a assumir a direção da peça, iniciando uma era que completa, em 2017, seus 22 anos.

Antes da apresentação a saudade de quem já não está entre os companheiros do grupo, será companheira da alegria da manutenção de uma tradição que já criou raiz. Jesus, mais um vez, será preso, julgado, crucificado. Mas, antes de cumprir a missão para a qual o pai lhe destinou, ele deixará, entre tantos ensinamentos, o mais belo: Amai-vos uns aos outros, assim como eu vos amei.