Ressuscitar os Lázaros de hoje!

Dom Roberto Francisco Ferreria Paz

Bispo  de Campos (RJ)

O quinto domingo da Quaresma nos tras o último dos sinais de São João evangelista: o milagre da ressurreição de Lázaro, o amigo de Jesus. Nesta caminhada rumo à Páscoa somos também instigados pelo profeta Ezequiel para anunciar a restauração plena da vida do povo, com a fantástica visão da revivificacão dos ossos ressequidos pela morte.

Para seguir a Jesus, o Bom Pastor, que dá vida em abundância, é necessário fazer acontecer em nosso meio perpassado pela insegurança, desemprego, perda de direitos sociais e salários minguados, sinais de esperança e de vida nova que reanimem o povo sofredor.

É preciso, e urgente, dizer aos irmãos que anseiam e clamam em busca de pão e de saídas: levanta-te e anda! Como Jesus, ir ao encontro dos que estão como Lázaro, presos nos calabouços da morte, e levar nossa solidariedade e compaixão. Anunciar vida nova aos jovens ameaçados pelo flagelo da violência e da droga e caminhar com eles para defender uma educação sem mordaças, que faça pensar e agir como cidadãos.

Chamar para fora do túmulo os sonhos perdidos junto ás melhores aspirações de justiça, democracia, participação e inclusão. Consolar e carregar sustentando a tantas vítimas, pessoas fragmentadas, caídas, sem rumo ou horizonte, que perderam a chama e o sentido do viver e a esperança de melhores dias. Finalmente, visando ao tema da Campanha da Fraternidade, devolver a vida aos biomas enviando o sopro do Espírito para ressuscitar rios, manguezais e açudes, fortalecendo as redes e teias da vida, empoderando as populações indígenas, quilombolas, ribeirinhas, das florestas, pescadores e camponeses em seu cuidado da Mãe Terra.

Quaresma, tempo de renovar e passar a limpo a nossa vida cristã, assumindo o risco de ir com Jesus até o fim na sua missão de salvar e restaurar a humanidade e gerar uma nova criação. Que contemplando a beleza da nossa Casa Comum, desejando cuidar mais e mais da vida das pessoas e de todas as criaturas, alimentemos e testemunhemos o sonho do novo céu e da nova terra. Deus seja louvado!