Administração Apostólica São João Maria Vianney comemora 15 anos

Dom Fernando Rifan - Foto Antônio Filho 2015

No final da década de 1980, em um terreno baldio, começava a construção de um sonho evangelizador. O então Padre Fernando Arêas Rifan iniciava a campanha para erguer a Paróquia do Imaculado Coração de Nossa Senhora do Rosário de Fátima. Hoje, com 98% de sua obra concluída, a igreja reflete a missão desenvolvida ao longo dos 15 anos que a Administração Apostólica Pessoal São João Maria Vianney está celebrando.

Realizando a divulgação da forma extraordinária do Rito Romano, a então União Sacerdotal recebeu, em janeiro de 2002, o título de Administração Apostólica. Era o fim de uma antiga divisão que gerava divergências na Diocese de Campos.

– A criação veio para resolver a dissidência. Éramos, até então, 25 padres que conservavam a missa na forma antiga. Mas, não estava correto, justamente em razão da divisão. Graças ao Papa João Paulo II, essa realidade mudou, com a criação da circunscrição eclesiástica que originou a da Administração Apostólica – relembra Dom Fernando.

Hoje, Dom Fernando folheia as páginas dos álbuns que registram os 15 anos da administração apostólica e de seu episcopado, com o orgulho de quem acreditou na missão de evangelizar, mobilizando a comunidade.

– O complexo em que hoje atuamos, era um sonho. Em plena realidade, o projeto da Igreja Principal é o reflexo de que, com fé, esforço e apoio dos fiéis, a gente consegue fazer muito – enfatiza.

 Dom Fernando Rifan - Foto Antônio Filho

Administração Apostólica comemora 15 anos - divulgação 3 (1)

Presente Especial

 Recentemente, a Igreja Principal recebeu um Órgão de Tubos Steinmeyer, de 1950, doado pela Igreja Luterana Kleine Kirche, da cidade de Karlsruhe, na Alemanha. De acordo com o pároco da Igreja Principal, padre Claudiomar Silva Souza, o presente, considerado o instrumento específico ao ofício litúrgico, marca o começo da concretização de mais um sonho da administração apostólica.

– Quando descobrimos que igrejas poderiam se candidatar a participar do processo de escolha para a doação do órgão, iniciamos o processo. Em agosto de 2016, veio a notícia de havíamos sido contemplados. O próximo passo será a montagem do instrumento, para a qual pretendemos chamar o mestre-organeiro que o desmontou, na Alemanha – explica padre Claudiomar, destacando que, para finalizar o projeto, a entidade necessita do apoio da comunidade.

Por Antônio Filho

Fotos: Antônio Filho

Agradecimentos

Jornal Multimídia por nos ceder a matéria