Não se paga para ver o Papa!

Espertalhões e delinquentes: assim o Papa definiu quem vende bilhetes para as audiências pontifícias.

Ao final do encontro semanal com os fiéis, Francisco pediu que lessem o que estava escrito atrás do bilhete para participar da Audiência Geral: “Está escrito em uma, duas, três, quatro, cinco e seis línguas: ‘O bilhete é inteiramente gratuito’”.

O Pontífice recordou que para entrar na Audiência, seja na Sala Paulo VI, seja na Praça S. Pedro, não se deve pagar: “É uma visita gratuita que se faz ao Papa, para falar com o Papa, com o Bispo de Roma. Mas soube que há espertalhões que cobram pelos bilhetes. Se alguém disser que para participar da audiência com o Papa é preciso pagar, estão trapaceando: fique atento! Aqui se vem sem pagar, porque esta é casa de todos. E quem diz que tem que pagar, mas isso é um crime, não sei… aquele homem, aquela mulher é um delinquente. Isto não se faz: entenderam?”.

Francisco se refere a agências turísticas que cobram para retirar o bilhete em sua sede ou recebê-lo no hotel em que está hospedado. Para reservar, o departamento responsável é a Prefeitura da Casa Pontifícia. No site, há as seguintes indicações:

para convites

Informações acerca da reserva de bilhetes

Escrever para: Prefeitura da Casa Pontifícia
00120 Cidade do Vaticano

Fax: + 39 06 6988 5863

Indicando:

Data da Audiência Geral ou Celebração Litúrgica

Número de bilhetes requeridos

Nome / Grupo

E-mail

Endereço de correio

Telefone e fax