Sempre há esperança! Nota da Arquidiocese do Rio sobre assalto a Dom Orani

Dom OraniQuem é capaz de dar a vida pelo rebanho? A resposta a esse questionamento se encontra no Evangelho de São João, capítulo 10, versículos de 11 a 15: o bom pastor. Só o bom pastor dá a vida por suas ovelhas. O Bom Pastor, frisou São João Paulo II, no exercício de seu ministério, “dá a vida guiando o povo cristão rumo à salvação”. Deve imitar a Cristo, tornando-se Sua testemunha corajosa, ministro incansável do Seu Evangelho. Já o Papa Francisco aponta outra característica marcante do bom pastor e necessária para a Igreja: “que tenha o cheiro das ovelhas”.

Inserido dentro desses contextos é que desde 19 de abril de 2009 como Pastor na Cidade Maravilhosa, Dom Orani tem levado à frente o que afirmou em seu discurso de posse — “Venho como cristão, discípulo de Jesus Cristo, escolhido como apóstolo para anunciar o Reino de Deus a todos” —, sendo o Pai que busca conhecer e evangelizar todas as paróquias e realidades desta Metrópole. Simples e verdadeiramente preocupado com o bem de todos, o Cardeal mostra-se sempre disponível e aberto, além de ser de um missionário incansável, sempre empenhado na implantação do Reino de Deus.

Infelizmente, horas depois de iniciar a missão popular por todos os cantos da cidade, como gesto concreto do Ano da Esperança, em uma celebração eucarística que reuniu milhares de fiéis e contou com a presença da imagem peregrina de Nossa Senhora Aparecida, trazida de seu Santuário Nacional, em Aparecida (SP), o Cardeal foi assaltado neste domingo, 5 de julho, no Viaduto de Quintino, Zona Norte do Rio, enquanto retornava para casa, após reunir-se com os fiéis da Paróquia Nossa Senhora da Paz, na Serrinha, em Campo Grande, para celebrar uma Missa em homenagear a Padroeira.

Dentro do veículo, além do motorista e do Cardeal, estava também um casal de amigos italianos. Quatro bandidos fortemente armados interceptaram o veículo, anunciaram o assalto e levaram o motorista como refém. Alguns metros depois ele foi liberado, mas os bandidos seguiram com o carro, além dos pertences pessoais de todos os ocupantes. Apesar do susto, ninguém se feriu e todos passam bem.

Mas é importante ressaltar que a preocupação primeira de Dom Orani foi com a integridade física de todos os ocupantes do veículo e tal episódio só demonstra o quanto o Cardeal não está distante da realidade de seu povo. Ele é o bom pastor que “dá a vida por suas ovelhas”, aquele que “dá a vida guiando o povo cristão rumo à salvação” e não só “tem o cheiro das suas ovelhas”, como também vive as mesmas realidades e experiências que seu rebanho.

Sua esperança vem e está em Deus, como afirma em seu artigo “Ano da Esperança”, publicado no Portal da Arquidiocese: “O Papa Francisco disse, em 2013, que: “A esperança é um dom, é um presente do Espírito Santo”. Paulo dirá que é um dom que ‘jamais decepciona’. Por quê? Porque é um dom que o Espírito Santo nos deu. E Paulo nos diz que a esperança tem um nome: Jesus. Renovemos a nossa esperança em Jesus. Ele refaz tudo e nos anima a anunciá-Lo neste mundo carente de paz e de justiça!”.

Cônego Marcos William Bernardo
Vigário Episcopal para a Comunicação Social e Cultura

 

Ver postagem original em ArqRio