Diocese de Campos preserva tradições no mês de maio

As coroações que emocionam são mantidas nas Paróquias da Diocese de Campos pelas Catequistas, pastorais e movimentos.

DSC05245

Em Aperibé o clima é de devoção a Nossa Senhora. Todos os domingos as coroações movimentam as pastorais que procuram promover momentos especiais dedicados a Nossa Senhora. E a Catequese Amigos de Jesus da Paróquia São Sebastião apresenta na missa com as crianças, celebrada pelo Pe. José Maurício Peixoto as 9h30 já é esperada pelos pais.

Segundo o sacerdote é importante manter neste mês a devoção a Nossa Senhora e as coroações são um momento especial da comunidade que se prepara para apresentar não apenas um espetáculo, mas uma homenagem singela a Mãe de Deus e destacar a importância e o lugar de Nossa Senhora na vida da igreja católica.

Além de incentivar a participação dos fieis das pastorais e movimentos ele mesmo organiza uma apresentação e este ano destacou a aparição de Nossa Senhora em Fátima, Portugal já preparando para as celebrações jubilares. A apresentação teve como ênfase as aparições e alguns milagres ocorridos durante as aparições iniciadas em 13 de maio de 1917 aos pastorinhos.

– Desde jovem apreciava as coroações de Nossa Senhora. Quando me ordenei sacerdote tive esse carinho com Nossa Senhora e nas paróquias onde passei sempre incentivei a realizar todos os domingos um momento dedicado a  Nossa Senhora. Uma coisa eu gosto de deixar claro que temos de fazer o melhor para a nossa mãezinha do céu. Este ano preparei este momento dedicado a Nossa Senhora de Fátima. – destaca o padre.

A Catequista Eliane Couto de Castilhos Campos, Coordenadora da Catequese Amigos de Jesus recorda de seu tempo de criança quando morava na Capela de Santa Rita de Cássia  na localidade de Valão de Padre Antônio em Cambuci.

– Ensaiávamos o mês todo para que no final do mês pudéssemos apresentar uma coroação. Tudo era preparado com muita simplicidade, mas tínhamos muito carinho e respeito. E hoje me emociono ao ver minha filha Maria Isabel nas coroações em nossa paróquia. Agradecemos tudo ao nosso padre que nos mostra como é importante a devoção a Nossa Senhora. – disse a catequista.

Uma emoção que contagia a muitos que nestes momentos recordam de momentos da infância, com as coroações que eram realizadas nas comunidades. Eram muito simples, mas contagiavam a todos que ainda hoje se emocionam. Hoje aos 44 anos Oton Antônio Cardoso Rangel as coroações trazem lembranças incríveis que hoje recorda e conta ao filho Othon Emanuel Brum  Rangel, 18 anos.

 

– Me lembro que por volta dos meus nove anos, eu era coroinha do Monsenhor Saraiva, na Igreja de São José de Leonissa, em Itaocara, e atendendo a um pedido, o monsenhor em uma das missas de coroação de Nossa Senhora, no ato de entrada, ele me disse que a Nossa Senhora teria dito para ele em seu sonho, que naquele dia, quem deveria realizar a coroação era eu, fiquei muito emocionado e nervoso, pois foi uma notícia informada para mim, ainda uma criança, com pedido de Nossa Senhora ao saudoso monsenhor Saraiva, Essa recordação ficou e irá ficar marcada pelo resto de minha vida. Visto pelo fato que tudo aconteceu perfeitamente, e o mais incrível que até o momento da coroação na Missa, só a Nossa Senhora, o monsenhor e eu que sabíamos deste pedido ocorrido, através do sonho de um padre, às vésperas da missa que eu seria também coroinha. – recorda Oton Rangel.

DSC05243 DSC05263 festa santa rirta 11 francisco 20 maio 13 DSC05630 DSC05637 DSC05639 DSC05644

Texto e Fotos

Ricardo Gomes

PASCOM/ Diocese de Campos